a trajetória do “aventureiro” exagerado da Toyota

Etios Cross: a trajetória do "aventureiro" exagerado da Toyota


Toyota Etios Cross

Em meados do ano de 2012, o mercado de compactos sofreu uma reviravolta no Brasil. Carros que até então eram considerados tradicionais no segmento, como Fiat Palio e Volkswagen Gol, passaram a ser imediatamente ameaçados por carros inéditos.

Entre eles, o Chevrolet Onix (atual líder no País), o Hyundai HB20 e o Toyota Etios – que, mais tarde, viraria o Etios Cross em uma versão de gosto peculiar.

Enquanto a Chevrolet e a Hyundai se preocuparam em desenvolver carros exclusivos para os consumidores brasileiros, atendendo aos gostos e necessidades do público local, a Toyota apelou para a “praticidade” ao adaptar para as nossas condições o compacto Etios, um hatch e também sedã que foi projetado para mercados emergentes e lançado inicialmente na Índia.

No lançamento, o novo Etios foi anunciado como um legítimo Toyota, pegando parte da fama do Corolla e de outros modelos da marca japonesa. Sendo assim, atraiu os consumidores pela robustez dos carros da empresa, com uma boa qualidade de construção e bons recursos.

E o carrinho até que era interessante: era seguro (recebeu boa pontuação no Latin NCAP) e tinha uma mecânica robusta e eficiente.

Etios Cross: a trajetória do "aventureiro" exagerado da Toyota

Por outro lado, pecava em uma série de detalhes. O visual era deprimente e o interior, mais ainda. Nenhuma parte do carro falava a mesma língua.

Na cabine, destoava o painel de instrumentos em posição central, como uma prática da Toyota para reduzir os custos ao mudar o volante de lado de acordo com o mercado em que seria comercializado – o mesmo acontecia com as saídas de ar centrais, em posição vertical ao invés de uma de cada lado.

Todavia, com o passar do tempo o Toyota Etios foi recebendo dezenas de aprimoramentos para se adequar aos gostos e necessidades dos brasileiros. E até uma versão aventureira entrou na dança, lançada em 2013 como Etios Cross.

O carro bebia da mesma fonte de outros aventureiros já conhecidos da categoria, como o Fiat Uno Way, Volkswagen Gol Rallye e CrossFox, Renault Sandero Stepway, Hyundai HB20X, entre vários outros.

Mas já vamos logo adiantar que, se o Etios convencional tinha coisas a menos, o pseudo-aventureiro Toyota Etios Cross abusava e entregava mais que o necessário. Conheça agora os principais detalhes da história do Etios Cross no Brasil:

Etios Cross: a trajetória do "aventureiro" exagerado da Toyota

Etios Cross chega ao Brasil em 2013

Os aventureiros ainda estão presentes no mercado nacional e têm como proposta entregar um visual mais “off-road” sob um carro convencional. A Toyota usou da mesma receita para o Etios Cross, que tinha como base a versão topo de linha XLS do hatch convencional e se diferenciava pelos apetrechos plásticos na carroceria e o interior com acabamento diferenciado.

Na estética, o Etios Cross exibe uma grade frontal com entradas de ar mais proeminentes, emoldurada por um grosso filete prateado que percorre toda a extensão central, dando a impressão do Toyota ter uma espécie de bigode.

Já o para-choque é formado em boa parte por um plástico preto fosco, com protetores na cor prata e faróis de neblina mais avantajados.

O carro conta também com um excesso de plástico nas laterais. As caixas de roda passaram a ter formato quadrado e moldura plástica, com um enorme aplique plástico na parte inferior das portas ligando-as. Trata-se da mesma solução usada pela Fiat no também extinto Idea Adventure, por exemplo.

Há ainda uma saia lateral com filete prateado, rodas de liga-leve diamantadas de 15 polegadas, barras longitudinais de teto também na cor prata (funcionais, com capacidade para até 50 kg) e retrovisores com repetidores de direção.

Etios Cross: a trajetória do "aventureiro" exagerado da Toyota

A traseira, por fim, repete o para-choque em plástico preto e um friso (também em plástico preto) na parte inferior da tampa do porta-malas com o nome do carro em baixo relevo, com direito também a um botão para abrir o compartimento de bagagens. O aerofólio completa o conjunto.

Essas alterações deixaram o Etios Cross maior e ligeiramente mais pesado. Ele passou a ter 3,89 m de comprimento, 1,73 m de largura e 1,54 m de altura, com entre-eixos de 2,46 m e peso de 970 kg.

Para efeito de compração, o Etios XLS é 12 cm mais curto, 4 cm menos largo e 3 cm mais baixo, com direito ainda a 5 kg a menos no peso final.

No interior, os diferenciais ficam por conta dos detalhes em prata nas maçanetas, botões de comando do ar-condicionado e na manopla de câmbio. Os bancos receberam costuras na cor branca e o nome do carro em alto relevo nos encostos dianteiros.

E só. Ao contrário de outros carros do segmento, o Etios Cross não traz qualquer alteração mecânica – nem uma suspensão elevada para melhorar a distância em relação ao solo e os ângulos de entrada e saída.

Etios Cross: a trajetória do "aventureiro" exagerado da Toyota

Entre os equipamentos de série, ele entregava airbags frontais, freios ABS, direção elétrica, repetidores de seta nos retrovisores, ar-condicionado, vidros, travas e retrovisores elétricos, sistema de som com entrada USB, volante com comandos de áudio, faróis de neblina, rodas de liga-leve, entre outros.

As primeiras unidades saíram com um motor 1.5 litro flex de 92 cv de potência com gasolina e 96,5 cv com etanol, a 5.600 rpm, e torque de 13,9 kgfm com ambos os combustíveis, a 3.100 rpm, associado a um câmbio manual de cinco marchas.

A partir da linha 2017, ele recebeu um novo motor com duplo comando variável de válvulas, bem como uma nova transmissão manual de seis velocidades ou automática de quatro marchas.

Etios Cross: a trajetória do "aventureiro" exagerado da Toyota

Linha 2015 do Etios Cross com novos recursos

As primeiras mudanças do Etios Cross foram anunciadas em setembro de 2014. O hatch compacto aventureiro e também as demais versões do Etios hatch e Etios Sedan estrearam a linha 2015 com novos equipamentos e aprimoramentos no interior.

Entre as novidades, todas as versões do compacto da Toyota receberam relógio digital, novo indicador do nível de combustível, acabamento em tecido nas portas, novo volante herdado do Toyota Corolla, maçanetas com detalhes cromados, banco do motorista com ajuste de altura, alerta sonoro de portas abertas e função de “um toque” para descida no vidro elétrico do motorista.

Houve ainda a introdução de uma nova central multimídia com navegador GPS, reprodutor de CD e DVD, TV digital e câmera de ré, na tentativa de acompanhar o Onix com a famigerada central MyLink.

Porém, tal item foi restrito ao Etios Platinum, o mais caro da gama.

Além disso, o Etios Cross 2015 ficou mais caro, passando para R$ 49.190. Ou seja, expressivos R$ 3,5 mil a mais que a linha anterior.

Etios Cross: a trajetória do "aventureiro" exagerado da Toyota

Etios Cross 2016 traz central multimídia de série

Antes ofertada somente no Etios Platinum, a central multimídia passou a equipar também o Toyota Etios Cross na linha 2016. Anunciado em julho de 2015, o novo Etios Cross 2016 adotou o equipamento e também ficou mais caro.

Ele passou a custar R$ 53.390, um aumento de R$ 4,2 mil em comparação com o Etios Cross 2015.

O novo sistema multimídia oferece uma tela sensível ao toque de sete polegadas, sistema de espelhamento de smartphones, conexão USB, entradas para cartão SD, HDMI e auxiliar, pareamento via Bluetooth, rádio AM/FM, viva-voz para ligações telefônicas, CD e DVD player, comandos no volante, entre outros.

De resto, o carro seguiu sem novidades.

Etios Cross: a trajetória do "aventureiro" exagerado da Toyota

Etios Cross 2017 com câmbio automático e painel digital

A linha 2017 foi, sem dúvidas, a de maior importância durante toda a vida do Toyota Etios no mercado brasileiro (pelo menos por enquanto). O hatch compacto passou a contar em abril de 2016 com novos motores 1.3 e 1.5 litro flex, novo câmbio manual de seis marchas, opção de transmissão automática de quatro velocidades, painel de instrumentos com tela TFT digital e diversos outros recursos.

Entre os equipamentos, o Etios Cross 2017 foi um dos modelos que recebeu o painel de instrumentos digital Toyota Smart Screen com duas telas de TFT e computador de bordo, de série em toda a gama. O recurso melhorou a visualização das informações.

Houve ainda a introdução de vidros mais espessos no para-brisa e portas dianteiras, para-lamas com nova proteção interna, aletas aerodinâmicas sob o para-choque, entre outros. Tudo isso para melhorar o isolamento acústico na cabine.

Ele ganhou também encosto de cabeça e cinto de três pontos para os cinco ocupantes.

Ainda entre as alterações, o Etios Cross 2017 passou a contar com direção elétrica recalibrada, suspensão melhorada com novos batentes hidráulicos, entre outros.

Etios Cross: a trajetória do "aventureiro" exagerado da Toyota

Já os motores 1.3 e 1.5 receberam novos cabeçotes com duplo comando variável de válvulas, melhorando o torque em baixas rotações, e adotou um novo sistema de partida a frio, dispensando o tanquinho auxiliar de gasolina. No caso do Etios Cross 2017, o motor 1.5 passou a render até 107 cavalos de potência.

Junto a ele estava o novo câmbio manual de seis marchas ou a inédita automática, neste caso com apenas quatro marchas. O piloto automático era de série.

O preço era de R$ 57.395 para o Etios Cross manual e R$ 60.895 para o Etios Cross automático. Sendo assim, o Etios Cross MT 2017 estreou por R$ 4.005 a mais que o antigo.

Etios Cross: a trajetória do "aventureiro" exagerado da Toyota

Linha 2018 do Etios Cross apenas com câmbio automático

Se o Etios Cross 2017 mudou bastante, para a linha 2018 ele foi anunciado sem alteraços expressivas. Por representar só 3% das vendas, o hatch aventureiro foi deixado de lado – as demais versões receberam uma nova grade e para-choque frontal redesenhado.

No entanto, o Toyota Etios Cross 2018 passou a ser comercializado somente na versão com câmbio automático. Ele estreou por R$ 64.290, ou R$ 3,4 mil mais caro que a linha anterior.

Etios Cross: a trajetória do "aventureiro" exagerado da Toyota

Etios Cross sai de linha em 2018

Por responder por apenas 3% das vendas da linha Etios, o Toyota Etios Cross deixou de fazer parte da gama no primeiro semestre de 2018. O hatch compacto aventureiro acabou não caindo no gosto dos consumidores brasileiros – em 2017, conseguiu vender cerca de 2,3 mil das 70 mil unidades do Etios.

Um dos principais motivos do insucesso do Etios Cross foi o seu visual bastante carregado e desproporcional.

Além disso, ele acabou ficando caro demais – saiu de linha por nada módicos R$ 66.260 –, sendo o mais “salgado” de toda a linha Etios hatch.

Galeria de fotos do Toyota Etios Cross

Etios Cross: a trajetória do “aventureiro” exagerado da Toyota

Nota média 4 de 3 votos




Fonte: Noticias Automotivas