Bellucci nega virar duplista no futuro. Ele e Rogerinho darão preferência ao Rio Open



Após derrotarem a principal dupla do torneio e os ídolos Marcelo Melo e Bruno Soares, Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva celebraram a vaga na semifinal de duplas do Rio Open conquistada na noite desta quinta-feira.

Os dois marcaram 6/2 6/7 (8/6) 10/5 e na semifinal pegam o tcheco Roman Jebavy e o argentino Andres Molteni nesta sexta-feira.

“Fomos consistentes. A maior parte do jogo fomos superiores a eles, eles salvaram match-points no segundo, mas estivemos com volume o tempo inteiro. Sacamos muito bem, fizemos tudo bem, foi um grande jogo nosso”, disse Bellucci.

Sobre a semifinal eles destacaram: “Temos que pensar jogo a jogo, o mais importante é que estamos felizes em quadra, nos divertindo. Como simplistas entramos com menor responsabilidade, como franco-atirador e amanhã jogar solto, com a torcida. Se jogarmos igual a hoje temos grandes chances de uma final”.

A situação dos dois é curiosa. Se forem à final jogariam no sábado e perderiam o qualifying do Brasil Open, torneio ATP 250 em São Paulo onde teriam que jogar no mesmo dia. A preferência deles é a dupla no Rio de Janeiro.

“Decisão é complicada, pois somos mais de simples do que duplas, mas entre jogar um ATP 500 em casa com uma torcida dessas não tem o que escolher, o jogo a jogo vai levando, eu e Thomaz estamos jogo a jogo, desfrutando. Tá dando certo até agora. Se for para não jogar o Brasil Open, não vamos jogar e vamos tentar fazer o melhor aqui”, apontou Rogerinho.

Thomaz Bellucci não vive uma boa fase há mais de um ano e está fora do top 200 nas simples. Com mais de 30 anos ele foi questionado se o bom resultado o animaria a focar nas duplas em um futuro próximo, mas ele negou: “Não penso não, provavelmente não vou virar duplista não, encerrar minha carreira em simples, fico por aí. Dupla não é minha praia, mas óbvio se conseguir conciliar simples e duplas vou seguir jogando igual aqui e agora”.





Fonte: Lance