Brie Larson revela o lado sem glamour de ser uma super-heroína no cinema – 09/12/2018

Reprodução


No ano que vem Brie Larson vai ser a Capitã Marvel, a super-heroína mais poderosa da Terra. Mas quem pensa que atuar em uma superprodução milionária e viver um personagem que pode ser icônico na cultura pop é só glamour, está bem enganado.

Neste sábado (8), ao participar do painel sobre o filme na CCXP 18 (Comic Con Experience), a atriz falou como a personagem a fez se sentir superpoderosa, mas revelou alguns perrengues que passou antes e durante as filmagens.

O segredo

Fechar o contrato para fazer parte do Universo Cinematográfico da Marvel deve ser o sonho de muitos atores e atrizes. Mas você não pode sair assim contando pra todo mundo quando finalmente esse sonho se torna realidade. Brie teve que guardar esse segredo por muito tempo.

Eu recebi a ligação e não podia contar para ninguém. Guardei segredo por um ano. Você finge que não está acontecendo de verdade.

O xixi

O uniforme de Capitã Marvel fez Brie Larson se sentir poderosa, a ponto de a atriz acreditar que poderia até levantar uma mesa. Mas tinha um problema de ordem prática: dava muito trabalho para tirar. Assim, cada ida ao banheiro era quase uma operação de guerra.

Precisava de duas pessoas para me ajudar a ir ao banheiro. A coisa mais libertadora depois de fazer o filme foi poder ir ao banheiro sozinha.

  

Imagem: Reprodução

O cheirinho

O uniforme super justo da Capitã Marvel também trazia um outro perrengue: o calor. E a atriz revelou que ele ficava “meio fedido” no final do dia.

O capacete

Uma das peças mais legais do traje da Capitã Marvel é o seu capacete. “É muito legal, me sinto durona”, diz a atriz. O problema é que a peça atrapalhava a audição. “É difícil ouvir quando estou com ele”, conta.

A preparação

Brie Larson treinou pesado para viver a Capitã Marvel. A atriz fez um trabalho intenso de musculação por nove meses e chegou até a mover um carro para provar que estava forte. 

“Capitã Marvel” tem estreia marcada para o dia 7 de março.



Fonte: UOL