Conheça a melhor forma de perder peso (e mantê-lo), segundo a ciência


Nosso organismo pode se tornar um adversário cruel: o corpo consegue notar com facilidade as reduções na ingestão de alimentos, o que nos induz a comer mais

Por
Redação

access_time

11 fev 2019, 17h25

Se livrar dos quilinhos a mais é o principal objetivo de saúde e beleza de diversas pessoas. No entanto, uma dificuldade muito comum para alcançar essa meta está em conseguir manter o peso depois de perdido. Isso porque há muitas tentações calóricas que impedem o indivíduo de continuar firme na dieta. Além disso, nosso próprio organismo pode se tornar um adversário cruel: o corpo humano consegue notar com mais facilidade as reduções na ingestão de alimentos, o que nos induz a comer; no entanto, sua reação é mais lenta para reconhecer os excessos alimentares. Outro desafio é a preguiça, que pode interferir na rotina de exercícios físicos e prejudicar a manutenção do peso.

Apesar dos obstáculos, o site americano The Conversation afirma que é possível atingir esse objetivo de forma saudável seguindo três dicas. Confira.

1. Cuidado com excessos

Estudo publicado no mês passado na revista British Journal of Nutrition mostrou que o corpo tem dificuldade em detectar o excesso alimentar, mesmo quando a ingestão de energia aumenta ao ponto de fornecer um excedente maior que 1.000 calorias por dia. O apetite não se altera ainda que as calorias diárias necessárias sejam ultrapassadas em 150%. 

Essa falta de controle sobre calorias adicionais pode ser explicado pelo processo evolutivo. Quando nossos ancestrais viviam em ambientes com acesso limitado à comida, comer demais era uma necessidade, especialmente em em momentos em que havia fartura, pois era a única forma de assegurar a sobrevivência até que fosse possível obter mais comida. Apesar da evolução, algumas funções do corpo permanecem intactas. 

Por causa disso, especialistas ressaltam a importante de ficar atento a ingestão de calorias para evitar que curtos períodos de excesso provoquem ganho de peso que prejudicam a dieta. Portanto, mesmo durante momentos festivos tente não ceder à tentação e controle bem a boca. 

2. Exercite-se

Ao decidir entrar em uma dieta, muitas pessoas apostam apenas na “melhor dieta para perder peso”. No entanto, tão logo se alcança a meta, a dieta é negligenciada ou flexibilizada, o que pode trazer de voltas os quilinhos perdidos. Para evitar que isso aconteça, é necessário associar dieta e atividade física. Isso porque o exercício pode complementar as mudanças na dieta e ajudar a minimizar o aumento da fome (que acontecem muito frequentemente em que investe em dietas, principalmente as restritivas). 

Aliás, um estudo de 2017 foi capaz de provar a importância do exercício para a perda de peso. Durante seis anos, participantes do The Biggest Loser, uma competição de perda de peso televisionada nos Estados Unidos, foram monitorados para acompanhamento de progresso. Ao final da pesquisa, descobriu-se que as pessoas que conseguiram manter a perda de peso alcançaram esse resultado porque aumentaram a prática de atividade física em 160%. Já aqueles que voltaram a ganhar peso haviam aumentado em apenas 34%. Isso acontece, pois, apesar de criar déficit de energia, o exercício intenso é capaz de reduzir os níveis de fome, o que ajuda na manutenção da dieta.

3. Esteja atento

Qualquer modalidade de dieta exige comprometimento. Assim, mesmo que as tentações apareçam no dia a dia, é preciso lembrar que o seu organismo não será capaz de alertar para os excessos; caberá a você controlar a quantidade de calorias ingeridas ao longo do dia. Vale lembrar que existem situações em que é muito difícil – ou mesmo impossível – manter o controle; se isso acontecer, é necessário se preparar para compensar os excessos, seja retirando algo mais calórico das refeições do dia seguinte ou aumentando a quantidade de exercícios.

Acredite, o monitoramento consciente da dieta e do estilo de vida são suficientes para garantir a manutenção do peso e assegurar um corpo bonito e saudável ao longo do ano. Mas exige esforço. 



Fonte: Veja