Disney já cancelou projetos da Fox e deve exigir cortes em musical de Spielberg – 24/04/2019


Alan Horn, chefe da divisão cinematográfica da Disney, já cancelou diversos projetos que estavam em desenvolvimento na Fox antes da compra do estúdio pela empresa do Mickey. O executivo também planeja exigir cortes em filmes como “Amor, Sublime Amor”, remake de um musical clássico pelas mãos de Steven Spielberg.

As informações são de uma nova matéria da revista “The Hollywood Reporter”, que detalhou os motivos para as mudanças. Uma adaptação da saga em quadrinhos “Os Pequenos Guardiões” (“Mouse Guard”, no título original) foi cancelada poucas semanas antes do começo da produção, por exemplo.

O motivo, segundo a matéria, é que o orçamento de US$ 170 milhões que a Fox prometeu para o filme foi considerado alto demais para “um longa-metragem não conectado a uma franquia”. A Disney não costuma investir em filmes originais tanto quanto o estúdio onde “Mouse Guard” seria produzido.

Enquanto isso, outro filme cancelado pela Disney foi “On the Come Up”, inspirado em best-seller de Angie Thomas. Horn eliminou o projeto da agenda porque a última adaptação de Thomas, o elogiado filme “O Ódio Que Você Semeia”, não foi bem nas bilheterias. O projeto encontrou nova casa na Paramount.

Outros filmes cancelados por Horn incluem: “News of the World”, que conta com Tom Hanks como astro e deve ser resgatado pela Universal; e “Fruit Loops”, protagonizado por Woody Harrelson, que conta uma história passada em um sanatório.

Dos quatro projetos comprovadamente eliminados pela Disney na aquisição, três eram da agora extinta divisão Fox 2000, conhecida por produzir títulos de orçamento médio que frequentemente atraíam a atenção de premiações ou surpreendiam nas bilheterias (vide títulos como “Estrelas Além do Tempo” e “Com Amor, Simon”).

Outra ação que Alan Horn deve tomar, agora que está no comando dos filmes que seriam produzidos pela Fox, é policiar o conteúdo de alguns projetos. O primeiro na lista: “Amor, Sublime Amor”, remake do musical de 1961 que Steven Spielberg vai dirigir.

Segundo fontes da “The Hollywood Reporter”, o executivo questionou se os jovens protagonistas da trama precisam mesmo aparecer fumando no filme. Horn adiantou em entrevista anterior que haveria mais policiamento de conteúdo na Disney do que na Fox, citando especificamente a regra sobre o cigarro.

“O público dos filmes da Disney pode não saber exatamente o que vai ver em determinado filme, mas sabe muito bem o que não vai ver”, definiu. “Há coisas que simplesmente não podemos incluir, ou senão receberíamos cartas reclamando”.



Fonte: UOL