Fundos da GWI já devem R$ 5,5 milhões após operação com Gafisa

gráfico perdas - queda - recessão


SÃO PAULO – Os quatro fundos de ações da gestora GWI, do polêmico gestor sul-coreano Mu Hak You,  estão com patrimônio líquido negativo de mais de R$ 5,5 milhões: o Classic tem – R$ 853.931,00,  o Levarege  – R$ 499.161,00, o Pipes  – R$ 2.926.923 e o High Value  – R$ 1.286.596. 

A GWI teve seus 4 fundos fechados para resgate no dia 15 de fevereiro, após os gestores venderem a posição que tinham em ações da Gafisa.  A GWI adquiriu o controle da empresa de forma polêmica no final do ano passado, após comprar mais de 37% das ações.

Os papéis subiram quase 60% entre outubro e dezembro do ano passado, mas já devolveram quase todos os ganhos desde o começo de janeiro. A queda do preço das ações teve um efeito devastador nas cotas dos fundos da GWI, que são conhecidos pelas suas posições agressivas no mercado a termo.

O patrimônio líquido de um fundo pode ficar negativo quando o gestor faz operações alavancadas, o que possibilita que as perdas sejam bem maiores do que o próprio saldo aplicado pelos cotistas. You é conhecido por esse tipo de transação – em 2008 ele também precisou fechar seus fundos depois de sofrer fortes perdas em meio à crise internacional.

Os quatro fundos possuem juntos 348 cotistas, de acordo com informações CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Pelas regras da CVM, em caso de fechamento para resgate por um prazo superior a 5 dias consecutivos, o administrador precisa convocar uma assembleia para avaliar os seguintes pontos:

I – substituição do administrador, do gestor ou de ambos;

II – reabertura ou manutenção do fechamento do fundo para resgate;

 III – possibilidade do pagamento de resgate em ativos financeiros;

IV – cisão do fundo;

 V – liquidação do fundo.

A corretora Planner, que administra os fundos, disse que convocará uma assembleia para o início da próxima semana. 

Procurada, a CVM disse que não comenta casos específicos. A GWI não respondeu a solicitação de entrevista.

 



Fonte: Infomoney