Futuro ministro da Educação de Bolsonaro se reúne com atual ministro em Brasília




Rossieli Soares recebeu Ricardo Vélez-Rodríguez na sede do ministério para ‘passar o máximo de informações’ para o trabalho de transição, segundo nota do MEC. Ricardo Vélez-Rodríguez, que assumirá o Ministério da Educação a partir de 2019, se reuniu com o atual ministro, Rossieli Soares, nesta quarta-feira (5)
Reprodução/TV MEC
O ministro da Educação, Rossieli Soares, se reuniu hoje com Ricardo Vélez-Rodríguez, indicado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro como o futuro chefe da pasta, a partir de 2019. A informação foi divulgada na tarde desta quarta-feira (5), pelo Ministério da Educação.
Em nota, o MEC afirmou que Rossieli permanece no cargo até o dia 31. O atual ministro já foi confirmado no cargo de secretário estadual de Educação de São Paulo.
“Estamos entregando o Ministério da Educação ainda com muitos desafios, mas com muitos avanços que precisam ser salientados, especialmente na educação básica”, afirmou ele, segundo a nota.
“Eu acho que o mais importante neste momento é o espírito republicano de cuidar do Brasil e torcer para que tudo dê certo com a próxima gestão do MEC.”
‘Manutenção das coisas boas’
Ao final da reunião, Vélez-Rodríguez concedeu uma entrevista à TV MEC. “Estou admirado com o tamanho do MEC, que realmente é muito grande”, afirmou ele.
“E admirado também coma boa recepção que tive aqui de parte do senhor ministro, e de parte da equipe de trabalho dele”, continuou o futuro ministro.
“Acho que vai dar para se fazer um trabalho de manutenção das coisas boas, e de inovação”, disse Vélez-Rodrígues, ressaltando que é “essencial manter a continuidade para que a máquina não pare, e para que o destinatário final, que é o cidadão e as comunidades no Brasil, recebam a atenção que merecem”.
Bolsonaro anuncia Ricardo Vélez Rodríguez como ministro da Educação
‘Quem define gênero é a natureza’, diz futuro ministro da Educação
Futuro ministro da Educação diz que provas do Enem são entendidas como ‘instrumento de ideologização’



Fonte: G1