Governo libera empréstimo de R$ 62 mi a Brumadinho, mas prefeito recusa


Verba anunciada pelo Ministério do Turismo iria para empresários; em entrevista, Avimar de Melo Barcelos diz que cidade não tem como pagar empréstimos

Por
Da Redação

access_time

16 fev 2019, 18h00

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, anunciou a liberação de 62 milhões de reais a Brumadinho (MG) em visita ao município. A verba seria destinada por meio de empréstimo “em condições especiais” para fomentar a atividade tentar reativar a economia da cidade após a tragédia com a ruptura da barragem da Vale, em 25 de janeiro. Porém, o prefeito da cidade, Avimar Melo Barcelos (PV) recusou o empréstimo e disse que irá propor um outro modelo de ajuda financeira ao governo federal.

“O que foi ofertado, na realidade, é um empréstimo via BDMG (Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais) para Brumadinho e outras cidades. Mas não tenho interesse nesse dinheiro. Não teremos condições de pagar esse empréstimo. A sugestão é para que seja doada alguma coisa para Brumadinho. Empréstimo a prefeitura não tem como pagar”, justificou o prefeito da cidade em entrevista ao jornal mineiro “Hoje em Dia”. 

Questionada sobre a declaração de Barcelos, a prefeitura de Brumadinho não respondeu até a publicação.

Durante visita à cidade neste domingo, o ministro anunciou a liberação da verba para mais de sete mil empresários locais. O município, que sedia o maior museu ao ar livre da América Latina – o Instituto Inhotim -, tem na atividade turística uma importante fonte de renda. “Precisamos agir agora e evitar que as circunstâncias aprofundem ainda mais as feridas dessa tragédia. O turismo vai devolver esperança à cidade”, disse.

 

O rompimento da barragem da Vale causou a morte de 166 pessoas e o desaparecimento de 144, segundo a Defesa Civil de Minas,

O dinheiro anunciado do Fundo Geral de Turismo (Fungetur) será direcionado ao Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais para depois ser disponibilizado para os prestadores de serviços turísticos cadastrados regularmente no Cadastur, o cadastro nacional do setor, em toda a região.

O dinheiro será disponibilizado com condições especiais, com prazos maiores e menores encargos, tendo como principal alvo microempresas que atuam com hospedagem, agências de viagem, locadoras de veículos e transportadoras turísticas.

(Com Agência Brasil)



Fonte: Veja