River Plate se nega a jogar em Madrid e aumenta imbróglio · Notícia · Máquina do Esporte


Se a Conmebol achava que depois de tanta confusão a respeito do jogo de volta da final da Libertadores havia resolvido a situação, enganou-se completamente. Isso porque, depois de divulgar que a decisão seria no Estádio Santiago Bernabéu, em Madrid, no próximo domingo (9), a entidade recebeu um comunicado oficial do River Plate em que o clube se nega a viajar para a Europa para disputar a partida.

Foto: Reprodução

“O River Plate rejeitou a mudança de local. O clube entende que a decisão de jogar em Madrid afeta de maneira adversa quem comprou ingressos e também perturba a ideia de igualdade de condições ao tirar a vantagem de jogar em casa. O futebol argentino como um todo e a Federação Argentina de Futebol não podem nem devem permitir que um punhado de torcedores violentos impeçam o Superclássico de acontecer em nosso país”, afirmou o clube.

O River ainda reiterou que considera “incompreensível” e “injustificada” a decisão de jogar o clássico na Espanha. O clube pondera que não tem culpa sobre o que aconteceu pelo fato de a violência ter sido registrada fora do estádio, em um local em que acredita que não tinha obrigação de garantir a segurança do ônibus que trazia a delegação do time adversário, mas sim a polícia.

Com isso, a Conmebol tem mais um problema para resolver. A certeza de que tudo estava resolvido era tanta que a entidade chegou a distribuir 25 mil ingressos ao River Plate e outros 25 mil ao Boca Juniors para um jogo que seria histórico, já que marcaria a primeira vez que a Libertadores teria uma final sendo disputada fora da América do Sul.

Vale lembrar que todo o imbróglio começou no último dia 24 de novembro, quando o ônibus que levava a delegação do Boca Juniors foi atacada na chegada ao Estádio Monumental de Nuñez. Alguns jogadores chegaram a ser atingidos por estilhaços de vidro e passar mal por conta do uso de gás lacrimogêneo por parte da polícia na tentativa de dispersar os torcedores.

A primeira decisão da Conmebol foi adiar a partida para horas depois no mesmo dia. Depois, a partida foi adiada para o dia seguinte. Mas, com a recusa do Boca Juniors em atuar por considerar que estaria sendo prejudicado, a final acabou sendo postergada mais uma vez, e a decisão de jogar em Madrid saiu apenas na última quinta-feira (29).



Fonte: Maquina do Esporte