Serviço de Inteligência de Goiás fará varredura na vida de João de Deus

Em Abadiânia, no interior de Goiás, onde atende, João Teixeira de Faria beija e toca cada pessoa que se aproxima


Polícia Civil procura outros casos de abuso sexual, além dos 13 já denunciados, e denúncias de crimes arquivados pelo regime militar

Por
Da Redação

access_time

9 dez 2018, 17h08

O Serviço de Inteligência da Polícia Civil de Goiás vai fazer uma varredura na vida pregressa do médium João de Deus, de 76 anos, e levantar denúncias realizadas nos anos 1970 que, aparentemente, foram arquivadas durante o regime militar, informou o jornal Correio Braziliense. As investigações não se aterão apenas à busca de outros casos de abuso sexual, além dos 13 já denunciados, mas também a acusações de estelionato e de exercício ilegal da Medicina.

Médium que atrai cerca de 1.500 pessoas diariamente em seu centro espírita em Abadiânia (GO), João Teixeira de Farias, o João de Deus, foi denunciado por abuso sexual por dez vítimas durante o programa Conversa com Bial, da Rede Globo, levado ao ar na última sexta-feira 7. Quatro delas fizeram relatos no momento. Outras três mulheres deram depoimentos ao jornal O Globo, publicados na edição de sábado 8. Em nota enviada à emissora de televisão, João de Deus rechaçou “veemente todas as acusações”.

O caso foi encaminhado ao Serviço de Inteligência pelo delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, André Fernandes Almeida. As denúncias de vítimas de abuso sexual começaram a ser apresentadas em outubro passado à Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), que abriu o inquérito. O caso é considerado complexo.

“As mulheres serão ouvidas pela Polícia Civil para que possamos buscar as provas necessárias para investigar com imparcialidade e com eficiência”, afirmou o delegado Almeida ao Correio.

No programa Conversa com Bial, as entrevistadas mencionaram ataques semelhantes sofridos de João de Deus. Entre eles, sua insistência para que elas tocassem seu pênis, dizendo ser um método de “limpeza”. A coreógrafa holandesa Zahira Leeneke Maus foi a única a se identificar ao relatar o abuso sofrido. As vítimas buscavam a ajuda do médium para solucionar problemas de saúde e, em quase todos os casos, há relatos de medo sobre as consequências de não seguir as exigências do médium.

João de Deus construiu, ao longo de 42 anos, fama e admiração no Brasil e no exterior. As romarias a Abadiânia, onde concentra suas atividades e reside, respondem por boa parte da economia local. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a apresentadora Xuxa e o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso são algumas das personalidades nacionais a ter buscado a atenção do médium. Do exterior, a apresentadora americana Oprah Winfrey, foi uma das celebridades atendidas por ele.

 

 

 

 



Fonte: Veja