Tereza Paim é a personalidade gastronômica de Comer e Beber Salvador 2018


Uma das principais autoridades na autêntica comida baiana, a chef festeja o sexto ano de seu restaurante Casa de Tereza

Por
Daniel Salles

access_time

29 nov 2018, 19h13 – Publicado em 29 nov 2018, 19h11

O telefone toca na Casa de Tereza e logo um garçom aparece esbaforido atrás de Tereza Paim, a chef e dona do restaurante. “Uma cliente não está achando arriba-saia. Está procurando a pimenta para comprar e nada”, informa ele, com ar preocupado. “É a pimenta- de-cheiro laranja, tem em qualquer lugar. Fala para ir na feira de São Joaquim”, responde a chef, de 57 anos, que acaba assumindo a ligação e emendando na explicação curiosidades sobre a espécie em questão. Testemunhada pela reportagem de VEJA COMER & BEBER, a cena faz parte do dia a dia da cozinheira, uma das maiores autoridades em ingredientes e receitas do estado. Seus conhecimentos sobre o assunto foram reunidos no recém-lançado livro Na Mesa da Baiana. De um ano para cá, Tereza também passou a dar maior atenção às farinhas e farofas regionais e criou várias, uma delas com até seis ingredientes, que podem ser compradas na vendinha do restaurante. “Por que elas ainda são vistas pejorativamente se são elementos riquíssimos da nossa culinária?”, questiona a chef, nascida em Tanquinho, cidadezinha no interior da Bahia. Instalado num imóvel de 1836 no Rio Vermelho, seu restaurante completou seis anos em 27 de setembro, dia de São Cosme e São Damião, dos quais Tereza é devota. Durante dez anos, ela também comandou o Terreiro Bahia, na Praia do Forte, que fechou as portas em 2015. O início como cozinheira, aos 42 anos, contou com aulas na escola do chef Laurent Suaudeau, em São Paulo. “Você não vai querer fazer aquelas moquecas cheias de tempero, vai?”, perguntou o mestre, à época ainda sem imaginar o que aquela baiana seria capaz de criar junto ao fogão.





Fonte: Veja