Urso detalha lições a tirar de ‘susto’ em Itaquera e diz como prefere jogar



Júnior Urso, dono de opiniões consistentes, foi contundente ao falar sobre o desempenho ruim do Corinthians nos primeiros minutos da partida contra o Avenida, na Arena, em Itaquera, em jogo que terminou com a classificação do Timão à próxima fase. Para o volante, é preciso reconhecer a falha para só então conseguir evoluir nos próximos confrontos. 

Embora tenha vencido por 4 a 2, o Corinthians sofreu gols aos três e dez minutos de bola rolando e assustou o público presente em Itaquera. 

– O primeiro passo é reconhecer que a gente não entrou como combinamos. Tomamos dois gols, tomamos um susto, na verdade. Entramos de um jeito diferente no segundo tempo, com vontade de ganhar mesmo. Respeitando essa camisa do Corinthians, tem que correr e batalhar. Colocamos qualidade que não estávamos colocando em outras partidas – disse, pouco depois da partida, e completou: 

– Temos de nos comportar assim daqui para frente. Esse é a autocrítica que a gente tem de fazer. Reconhecer que entramos muito mal. Mas depois tivemos a coragem parar correr atrás do resultado no segundo tempo. Das duas partidas que joguei aqui, esse segundo tempo foi o melhor. Os gols foram surpreendes, trabalhamos para não tomar gol. 

Justamente nos dois jogos citados por Urso, o volante entrou como titular. Prestigiado por Fábio Carille, admitiu que prefere jogar como segundo volante. Contra o Avenida, ainda no primeiro tempo viu Ralf ser sacado de campo para a entrada de Vagner Love e passou a se desdobrar entre marcação e chegadas ao ataque. Mesmo assim, “achou o corredor” e conseguiu marcar um gol na etapa complementar. 

– Era necessário mudar a partida, estávamos atrás. Professor abriu mão de um cara do meio, inteligentemente. Poderia ser eu, foi o Ralf. Era preciso subir. Eles iriam nos atacar. A entrada do Love mudou a partida. Tínhamos um cara a mais para dar o passe – explicou, e seguiu: 

– Eu chego para apoiar, tinha noção que era o primeiro volante e tinha que marcar para Pedrinho e Díaz jogarem, mas vi o corredor. Às vezes, temos de ser um pouco desobedientes no bom sentido. Fui feliz no chute. O mais importante foi sair com a classificação. Consigo fazer o primeiro volante, mas claro que gosto mais de chegar o ataque e jogar com Ralf ou alguém que me dê mais liberdade de bater e voltar. Como for, o professor pode contar comigo. 

O Timão volta a campo no domingo, às 19h, para enfrentar o Botafogo, em Ribeirão Preto, pelo Campeonato Paulista. 





Fonte: Lance